Divulgação/Famasul

Setor de transporte de cargas espera reação em 2018

Termômetro do mercado, a Intermodal South America, feira internacional de logística, transporte de cargas e comércio exterior, acontece de 13 a 15 de março, no São Paulo Expo, na capital paulista. Lá estarão reunidas empresas nacionais e internacionais associadas a cada um dos elos da cadeia da logística de armazenamento e transporte

Moacir Neto

Otimismo. Mas com moderação. Esse é o cenário que se desenha para o setor de transporte de cargas no mundo. Os impactos podem ser positivos, conforme estima o relatório “Panorama da Economia Mundial” divulgado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Se a tempestade já passou, agora é esperar os novos ventos para o setor que ajuda a levar a carga do agronegócio. Embora não se saiba ao certo como e quando virão os impactos positivos, a avaliação do cenário exibe certa confiança, conforme consta do boletim Conjuntura do Transporte – Macroeconomia, da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

A crer nos dados, 2017 pode ter sido o melhor ano desde 2011 em termos de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) e comércio mundiais. Os cálculos apontam que a produção mundial tenha crescido 3,7% e que deve avançar 3,9% em 2018 e 2019. A expectativa é de que, como consequência, o volume de bens e serviços transacionados no comércio internacional em 2017 aumentaram em 4,7%.

O relatório também diz que o PIB pode ter crescido 1,1% em 2017 e tem potencial para atingir 1,9% em 2018 e 2,1% em 2019. A instituição projeta, também, expansão do PIB dos principais parceiros comerciais do Brasil como a China, Estados Unidos, Argentina, Área do Euro e América Latina e Caribe.

Um termômetro para aferir se o mercado responde ao posicionamento da entidade é a Intermodal South America, feira internacional de logística, transporte de cargas e comércio exterior, que acontece de 13 a 15 de março, no São Paulo Expo, na capital paulista. Lá estarão reunidas empresas nacionais e internacionais associadas a cada um dos elos da cadeia da logística de armazenamento e transporte. São esperados 33 mil profissionais.

Pegando o bonde, mas sem anunciar sua participação na Intermodal, a CargoX – empresa brasileira que oferece serviços de transporte de carga baseados em tecnologia e bigdata – alcançou importantes marcos em 2017 e já começa o ano focada em expansão, começando com a inauguração de dois novos escritórios em janeiro. Ao longo do primeiro semestre, novos escritórios devem ser abertos em diferentes estados brasileiros.

A companhia acredita que 2017 foi marcado pelo crescimento exponencial, além de uma nova rodada de investimentos, totalizando R$112 milhões, e da indicação como uma das 30 startups mais disruptivas do mundo pela CB Insights, empresa americana de análise de dados. Ao longo do ano, a startup abriu quatro novos escritórios, todos localizados no Mato Grosso e focados no atendimento às demandas de transporte do agronegócio na região. A iniciativa demandou um investimento de mais de R$ 10 milhões.

“Nosso investimento foi estratégico. Apostamos na região e nos colocamos como uma solução de escoamento para os produtores locais, conquistando importantes clientes e alcançando resultados bastante expressivos” diz, por meio de assessoria, o CEO e fundador da CargoX, Federico Vega. Para 2018, a empresa prepara uma nova fase de expansão, com a abertura de novos escritórios em pontos estratégicos do território nacional ao longo do primeiro semestre. As duas primeiras inaugurações aconteceram já em janeiro, também no MT, nas cidades de Matupá e Lucas do Rio Verde.

Portal Revista Safra, com informações Conteúdo Empresarial e da CargoX

Publicidade

Publicidade