Moagem de cana atrasada até a segunda quinzena de maio

Como reflexo, a moagem acumulada desde o início da atual safra até o dia 1º de junho continua atrasada em mais de 29 milhões de toneladas

Moacir Rodrigues

A segunda quinzena do mês de maio fechou com pessimismo para o setor canavieiro. O volume de cana processado pelas unidades produtores do Centro-Sul alcançou pouco mais de 31 milhões de toneladas, uma queda de 2,83% sobre o valor da mesma quinzena de 2016 (32,51 milhões de toneladas). As informações são da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Única).

É a quarta quinzena seguida em que é registrada retração da moagem, na comparação com o ciclo 2016/2017. Como reflexo, a moagem acumulada desde o início da atual safra até o dia 1º de junho continua atrasada em mais de 29 milhões de toneladas (111,84 milhões de toneladas moídas contra 141,37 milhões de toneladas no mesmo período do último ano). Dentre os fatores podem ser destacados o atraso no início da safra 2017/2018 e das condições de clima, que interromperam o ritmo esperado de colheita da atual.

Em relação à produtividade agrícola, dados coletados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), com amostra de 142 empresas, indicam que o rendimento médio da área colhida em maio atingiu 79,98 toneladas por hectare, queda de 5,92% em relação ao índice apurado no mesmo mês de 2016. No acumulado dos meses de abril e maio, a produtividade alcançou 79,13 toneladas por hectare, configurando uma quebra de 9,07% em relação ao mesmo período da safra passada.

Já a produção acumulada de açúcar atingiu, até o dia 1º, 5,69 milhões de toneladas (amargando retração de 18,75% quando comparado com as 7,01 milhões contabilizadas no mesmo período da safra 2016/2017). A fabricação de açúcar – se observados os últimos 15 dias de maio – totalizou 1,75 milhão de toneladas, contra 1,69 milhão de toneladas em igual data de 2016.

Por outro lado, a proporção de cana processada pelas unidades autônomas (fábricas que produzem somente etanol) alcançou apenas 15,73%, ante 18,87% observado no mesmo período do último ano. Em relação ao etanol, a fabricação atingiu 4,3 bilhões de litros desde o início da safra 2017/2018 até o dia 1º. Do total, 1,69 bilhão de litros são de anidro e 2,61 bilhões de hidratado.

Portal Revista Safra, com informações da Unica

Foto: Arquivo/Marcus Vinicius

Publicidade

Publicidade