Ministério da Agricultura fiscaliza qualidade de peixes

Foram analisadas 77 amostras de DNA de pescados oriundos de empresas nacionais, 20 amostras de empresas estrangeiras, ambas com SIF e com inspeção estadual e municipal, outras 36 amostras, sendo que das últimas, 20 amostras de DNA estavam adulteradas

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) concluiu a Operação Semana Santa com a coleta de 140 amostras de peixes, em 12 estados e no Distrito Federal, apontando um índice de 9,3% de não conformidade em estabelecimentos sob a fiscalização do Serviço de Inspeção federal (SIF).

Nos estabelecimentos sob o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e o Serviço de Inspeção Municipal (SIM), o índice de não conformes foi de 55,6%. Índice de não conformidade significa que a espécie de peixe declarada no rótulo não condiz com a amostra retirada da embalagem. De acordo com o auditor fiscal agropecuário Paulo Humberto de Lima Araújo, os números sinalizam que a fraude é maior neste caso. “Em 2018, inovamos na fiscalização”, disse Araújo, “pois coletamos amostras de pescados fiscalizados pelos estados e municípios, e o índice de não conformidade é bastante elevado.”

Foram analisadas 77 amostras de DNA de pescados oriundos de empresas nacionais, 20 amostras de empresas estrangeiras, ambas com SIF e com inspeção estadual e municipal, outras 36 amostras, sendo que das últimas, 20 amostras de DNA estavam adulteradas. As empresas serão notificadas do resultado da coleta e adotadas ações fiscais, tanto com relação à destinação dos lotes de pescado implicados, como na imposição de medidas cautelares junto às empresas produtoras. “Neste ano ampliamos os locais de coleta de amostras, e incluímos mais estados, onde anteriormente não havíamos fiscalizado”, afirmou.

Mapa

Publicidade

Publicidade