Arquivo/Vandréia de Paula

Milho perde força no mercado paulista

Os compradores optam por negociar pequenos lotes, enquanto vendedores capitalizados seguem concentrados na colheita. Entre 19 e 26, o indicador do milho subiu 0,74%, indo a R$ 32,57 a saca de 60 quilos, na sexta-feira, 26. Em relação às exportações, o ritmo tem perdido a força

Moacir Neto

No dia 26, a saca de 60 quilos de milho comercializada à vista foi cotada a R$ 32,57, com variação diária de 0,68%. Em dólar, a US$ 10,35. Nos cinco dias analisados, o produto manteve a média de preços, sempre na casa dos R$ 32. O cenário é de oferta de milho restrita no mercado paulista, levando em conta que o volume colhido ainda é pequeno. Há casos em que o cereal ainda apresenta alto teor de umidade.

Os compradores optam por negociar pequenos lotes, enquanto vendedores capitalizados seguem concentrados na colheita. Entre 19 e 26, o indicador do milho subiu 0,74%, indo a R$ 32,57 a saca de 60 quilos, na sexta-feira, 26. Em relação às exportações, o ritmo tem perdido a força.

Na parcial de janeiro (em 14 dias úteis), o Brasil embarcou 2,13 milhões de toneladas do cereal, com média diária de 152,2 mil toneladas. Caso permaneçam neste ritmo até o final do mês, as exportações brasileiras devem somar 3,35 milhões de toneladas em janeiro, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). A perspectiva é que as exportações de milho diminuam nas próximas semanas e meses. As informações são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/Universidade de São Paulo (Cepea/Esalq/USP) e BM&FBovespa.

Portal Revista Safra, com informações do Cepea/USP

Publicidade

Publicidade