Antonio Araujo/Mapa

Mercado externo terá comitês técnico e de imagem

O comitê de imagem vai discutir ações que possam impactar na imagem do setor de proteína animal lá fora, prejudicada não apenas por ações como a da Carne Fraca, mas pela divulgação de informações que o setor considera inverídicas por parte de organismos internacionais

Representantes do setor produtivo, de frigoríficos de aves e suínos e técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), voltaram a se reunir nesta terça-feira, 8, com o ministro Blairo Maggi, para tratar sobre o futuro do mercado externo. Foi decidida a criação de dois comitês: um de imagem e outro técnico com a participação do governo e do setor privado.

O comitê de imagem vai discutir ações que possam impactar na imagem do setor de proteína animal lá fora, prejudicada não apenas por ações como a da Carne Fraca, mas pela divulgação de informações que o setor considera inverídicas por parte de organismos internacionais. “Há muita desinformação sobre o setor”, comentou o secretário de Relações Internacionais do Agronegócio do ministério, Odilson Ribeiro e Silva.

O comitê técnico deverá debater questões legais e outros pontos técnicos com o objetivo de alinhar os trabalhos dos frigoríficos às exigências dos mercados internacionais. O ministro Maggi aproveitou para pedir aos dirigentes de empresas interessadas em continuar atuando no mercado europeu que procurem mais informações sobre o programa Agro+ Integridade e para aderir a ele. “É uma forma de mostrarmos a eles que estamos fazendo a nossa parte”, observou. O ministro disse ainda que aguarda para até o final desta semana o relatório da auditoria realizada por técnicos da União Europeia em março deste ano em vários frigoríficos brasileiros. A expectativa é de que seja positivo para o Brasil. A partir desse relatório, o Mapa poderá responder a questões colocadas pelos europeus e negociar a reabertura do mercado.

Mapa

Publicidade

Publicidade