Embrapa

Melhora ritmo da colheita de mandioca

Como a demanda por matéria-prima continuou baixa na indústria de farinha, houve algum excedente para as fecularias

Moacir Neto

No início do mês, os preços da mandioca sofreram alteração significativa em algumas regiões avaliadas. Em três localidades do Paraná, por exemplo, a tonelada chegou a custar R$ 633,31, R$ 633,51 e R$ 615,68. Já o Mato Grosso do Sul cotou a R$ 617,64, bem acima de São Paulo, R$ 569,78. As informações são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/Universidade de São Paulo (Cepea/Esalq/USP). O cenário é bom, mesmo diante da oscilação de preços. E o ritmo de colheita do produto melhorou com o clima firme em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea/USP.

Com isso, parte dos agricultores que havia deixado de entregar o produto voltou a comercializar. Como a demanda por matéria-prima continuou baixa na indústria de farinha, houve algum excedente para as fecularias. Com a oferta elevada, as cotações, que vinham firmes, foram pressionadas em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea/USP. Entre os dias 5 e 9, o valor médio nominal a prazo para a tonelada de mandioca posta fecularia foi de R$ 622,45 (R$ 1,0825 por grama), 2,9% abaixo da média do período anterior.

Portal Revista Safra, com informações do Cepea/USP

Publicidade

Publicidade