Arquivo/Vandréia de Paula

Federação da agricultura lança projeto voltado à pecuária

A ação será realizada de 16 a 23 de setembro, no Parque de Exposições Pedro Ludovico Teixeira, na capital goiana

Moacir Rodrigues

Ainda se recuperando dos solavancos, a pecuária em Goiás começa a mostrar algum sinal de melhora. Módica, sem dúvida. O cenário aponta para aumento dos preços da média da arroba do boi, que avançou de R$117,15 no dia 1° para R$126,14 na última quarta-feira, 16. A alta foi de 7,6%. Nesse contexto, a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) anunciou a realização conjunta neste ano da Conferência Internacional de Pecuaristas (Interconf) e da Goiás Genética. O objetivo é fortalecer a pecuária brasileira. O lançamento do projeto “O Brasil Pecuário acontece aqui” foi ontem, na sede da instituição.

Também à mesa as associações Nacional da Pecuária Intensiva (Assocon) e a Goiana dos Criadores de Zebu (AGCZ), além da Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura (SGPA) e o Fundo para o Desenvolvimento da Pecuária em Goiás (Fundepec-GO) . A união dos dois eventos já consolidados nos cenários local e nacional representa ganhos, conforme salienta o presidente da Faeg, José Mário Schreiner. “É a pecuária sendo tratada de forma extremamente profissional. Haverá, sem dúvida, ganhos.”

A proposta da realização, em conjunto, da Interconf e Goiás Genética é de exatamente fortalecer a pecuária brasileira e mostrar a força do setor em todo o País. O projeto será realizado de 16 a 23 de setembro, no Parque de Exposições Pedro Ludovico Teixeira, na capital goiana, e discutirá diversos temas ligados ao ‘mundo da pecuária brasileira’. A organização é da Terraviva Eventos, com apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Goiás) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

“O que a gente observa é uma insegurança do produtor em relação ao mercado. Precisamos mostrar um cenário de esperança, já que com o uso de tecnologia e ferramentas próprias (para o manejo) é possível ao pecuarista perceber rentabilidade”, sintetiza o gerente-executivo da Assocon, Bruno de Jesus Andrade.

Portal Revista Safra, com informações da Faeg

Publicidade

Publicidade