Divulgação/Embrapa

Embrapa lança unidade de pesquisa no Maranhão

No caso específico de Balsas, a parceria é uma aliança estratégica para o fortalecimento de arranjos produtivos e desenvolvimento territorial sustentável com inclusão produtiva e agregação de valor à agricultura familiar e ao agronegócio, promovendo a atuação em regiões onde a ciência e a tecnologia precisam estar fortemente presentes

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Cocais), a Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) realizam, no dia 16 de maio, na Unidade da Embrapa de Execução de Pesquisa em Balsas (MA), cerimônia de lançamento da Unidade Mista de Pesquisa e Transferência de Tecnologia (UMIPTT). A aliança é fruto de Acordo de Cooperação Técnico-científico e Operacional para promover o desenvolvimento sustentável da região Centro Sul do Maranhão.

A UMIPTT é uma união de esforços entre Embrapa e instituições parceiras, públicas ou privadas, nacionais ou internacionais, para o desenvolvimento regional sustentável de determinada região e fortalecimento de arranjos produtivos locais que promovam a otimização de recursos humanos, financeiros e de infraestrutura. “Esse arranjo em rede promove a atuação da Embrapa e parceiros onde exista vazio institucional e/ou necessidade de atuação conjunta, sendo a Embrapa articuladora do processo. A demanda vem da articulação da sociedade local interessada e suas instituições regionais”, explica o assessor em Inovação e Transferência de Tecnologia da Diretoria Executiva da Embrapa, Apes Falcão.

No caso específico de Balsas, a parceria é uma aliança estratégica para o fortalecimento de arranjos produtivos e desenvolvimento territorial sustentável com inclusão produtiva e agregação de valor à agricultura familiar e ao agronegócio, promovendo a atuação em regiões onde a ciência e a tecnologia precisam estar fortemente presentes. O acordo de parceria para a estruturação da UMIPTT é de simples cooperação, no qual cada uma das instituições envolvidas diz o que tem condições de aportar. A gestão é compartilhada entre as instituições que compõem a UMIPTT e a operacionalização é feita por projetos, a partir de demandas validadas pelos participantes.

A entidade máxima da UMIPTT é seu Comitê de Gestão Estratégica, formado por um representante e seu suplente, de cada instituição parceira. “Os projetos serão focados nas questões de desenvolvimento regional, transferência de tecnologia e pesquisa aplicada, com atividades priorizadas pelas instituições e entidades daquele território. O objetivo é criar um ambiente colaborativo de pesquisa, desenvolvimento e inovação, por meio do compartilhamento de recursos e atuação conjunta das instituições parceiras e Unidades da Embrapa para o enfrentamento dos desafios da região, que tem papel crucial na produção agropecuária brasileira”, diz a chefe-geral da Embrapa Cocais, Maria de Lourdes Mendonça Santos Brefin.

Modelagem inovadora de arranjo territorial em rede, com atuação em pesquisa, transferência de tecnologia e inovação, que amplia e fortalece a capacidade de atuação regional da Embrapa. Esse compartilhamento pode ocorrer tanto nas dependências da Embrapa, recebendo os parceiros externos de outras Instituições, como nas dependências de outras instituições, recebendo pesquisadores da Embrapa, ampliando a capacidade de a Empresa desenvolver novas tecnologias e soluções. O objetivo é viabilizar soluções de pesquisa, aporte tecnológico e organização da produção, visando ao desenvolvimento sustentável, à segurança alimentar e nutricional, à geração de renda e bem-estar às famílias dos agricultores – especialmente os familiares -, indígenas, pescadores, comunidades remanescentes de quilombos e extrativistas da região.

Embrapa

Publicidade

Publicidade