Arquivo/Emater-GO

Criado o Selo da Sociobiodiversidade na agricultura

A iniciativa teve colaboração direta do projeto internacional Biodiversidade por Alimentação e Nutrição que catalogou 70 espécies de frutas e hortaliças brasileiras que agora são contempladas pelo selo

Moacir Neto

Mesmo com variantes no nome, o pequi é, tradicionalmente, o fruto mais lembrado por quem não mora em Goiás. Mas tem curiosidade em saber que iguaria de cor amarela é essa que os goianos consomem. É também conhecido como piqui, pequiá, piquiá, piquiá-bravo, amêndoa-de-espinho, grão-de-cavalo, pequiá-pedra, pequerim e suari. Seu significado na língua indígena é “casca espinhosa”. Além de ser comestível, o fruto produz óleo. Sim, do caroço é extraído o óleo. A partir daí é produzido o biodiesel e 50% deste corresponde ao óleo vegetal, cuja composição química é adequada para a produção de biodiesel. A fruta agora integra o Selo da Sociobiodiversidade, lançado recentemente pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Além do pequi, 2,5 mil frutas, legumes e hortaliças brasileiras são conhecidas na comunidade científica pelos nutrientes únicos, mas no prato, poucas marcam presença no dia a dia. Para estimular o aumento da biodiversidade na agricultura e beneficiar pequenos produtores de espécies nativas regionais, foi criado o selo. A iniciativa teve colaboração direta do projeto internacional Biodiversidade por Alimentação e Nutrição que catalogou 70 espécies de frutas e hortaliças brasileiras que agora são contempladas pelo selo.

A escolha das espécies foi baseada em três critérios, ou seja, valor alimentício regional, potencial econômico e importância social. Também foram considerados a riqueza de nutrientes e o equilíbrio ecológico dos biomas brasileiros. Entre as selecionadas estão o açaí, babaçu, cagaita, caju, erva-mate, jaboticaba, mandacaru, maracujá, pequi e urucum. Os produtores que cultivarem algumas das espécies brasileiras e tiverem o Selo participam automaticamente de todos os programas estaduais que integram o Plano Nacional de Agroecologia. Os interessados em obter o selo encontram mais informações no site do MDA, no endereço: www.mda.gov.br.

Portal Revista Safra, com informações da Agência Brasil e Embrapa

Publicidade

Publicidade