Arquivo

Cotação do milho segue em queda no mercado interno

Compradores consultados pelo Cepea/USP se mantêm retraídos, com expectativa de que a maior oferta decorrente da colheita da segunda safra pressione ainda mais os valores. Por outro lado, vendedores apostam em uma possível menor disponibilidade, por causa da redução da área plantada

Moacir Neto, com agência

Cultura de verão, o milho sofreu forte redução no plantio na Região Centro-Oeste. Uma das razões é que os produtores fizeram a opção pelo plantio de soja, tendo em vista os baixos preços do cereal influenciado pela abundante oferta do milho na entressafra. A área semeada recuou drásticos 18,7%, na comparação com a safra passada. Com produtividade bem semelhante à anterior, a estimativa é de uma produção de 2,3 milhões de toneladas. Nesta terça-feira, 10, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) anuncia o 10º Levantamento da Safra de Grãos 2017/2018. Enquanto isso, no mercado interno as cotações de milho seguem despencando.

Dentre os fatores, está o avanço da colheita (no Centro-Oeste, a colheita do grão já foi totalmente concluída) e também o imbróglio sobre o tabelamento do frete (rescaldo da paralisação dos caminhoneiros), segundo indicam pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/Universidade de São Paulo (Cepea/Esalq/USP). Quanto aos negócios, a “queda de braço” entre compradores e vendedores e indefinições quanto ao tabelamento de frete estão limitando os fechamentos de novas negociações.

Compradores consultados pelo Cepea/USP se mantêm retraídos, com expectativa de que a maior oferta decorrente da colheita da segunda safra pressione ainda mais os valores. Por outro lado, vendedores apostam que a possível menor disponibilidade, por causa da redução da área plantada e da baixa produtividade das lavouras, sustente os preços nos próximos meses. Na última sexta-feira, 6, o Indicador Esalq/BM&FBovespa (Campinas/SP) fechou a R$ 36,22, a saca de 60 quilos, um recuo de 2,03% frente ao dia 29 de junho.

Portal Revista Safra, com informações do Cepea/USP e Conab

Publicidade

Publicidade