Fambras/Divulgação

Como é feito o abate Halal?

Os equipamentos e os utensílios utilizados são exclusivos para esse tipo de degola e a faca do abate deve ser afiada porque a sangria deve ser realizada apenas uma vez, diminuindo o sofrimento infringido

Mohamed Hussein El Zoghbi

A palavra ‘Halal’ significa lícito, permitido. Alimentos designados Halal são aqueles cujo consumo é permitido por Deus: “Foram-vos permitidas todas as coisas sadias.” (Sagrado Alcorão, Surata 5ª, versículo 4º).:

Para se enquadrar no padrão exigido, os animais precisam passar por todo o processo de abate Halal, que é executado separadamente do não Halal. Para tanto, eles devem ser saudáveis, em perfeitas condições físicas e aprovados pelas autoridades sanitárias competentes. O abate é executado apenas por um muçulmano mentalmente sadio, que entenda, totalmente, o fundamento das regras e das condições relacionadas ao abate Halal. A frase “Em nome de Deus, Deus é maior” (Bismillah Allahu Akbar) tem de ser invocada imediatamente antes do abate.

Os equipamentos e os utensílios utilizados são exclusivos para esse tipo de degola e a faca do abate deve ser afiada porque a sangria deve ser realizada apenas uma vez, diminuindo o sofrimento infringido. O ato do abate corta a traqueia, o esôfago, as artérias e a veia jugular, para apressar o sangramento e a morte do animal. Após o abate, o esgotamento do sangue deve ser espontâneo e completo. Um inspetor mulçumano treinado é indicado e tem a responsabilidade de checar se os animais são abatidos corretamente, de acordo com a lei islâmica. No caso das aves, elas somente podem ser escaldadas após a confirmação da morte pelo abate Halal.

O processo deve ser feito de forma rápida, para que o animal não sofra. Com a degola do sistema Halal, o fluxo de sangue que iria para o cérebro é interrompido imediatamente, causando a morte instantânea e eliminando, dessa forma, qualquer possibilidade de liberação de toxinas que contaminem a carne. A retirada do sangue garante que, se o animal estiver com alguma moléstia, as chances de o ser humano ser contaminado sejam menores e, além disso, a retirada do sangue garante maior qualidade do produto, já que ele alcança os parâmetros internacionais de pH, tendo reduzidos significativamente os riscos de putrefação prematura por crescimento microbiológico.

O ritual de sacrifício deve ser praticado com ética, seguindo as Leis do Alcorão. Evocar o nome de Deus no ato da degola tem grande significado: é uma maneira de agradecer pelo alimento enviado por Deus, pedindo perdão, já que os animais são sacrificados para garantir o sustento alimentar do ser humano e não por diversão ou sadismo.

Mohamed Hussein El Zoghbi é diretor executivo da Fambras Halal, a primeira e maior certificadora Halal do Brasil

Publicidade

Publicidade