Divulgação/LN Assessoria

Comitiva dos Emirados Árabes vem ao Brasil para observar abate Halal

Durante esta semana, as autoridades visitam alguns frigoríficos que realizam o abate halal no Brasil e também a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA)

Moacir Neto

Em todo o mundo, o mercado halal supera os US$ 400 bilhões, observando crescimento superior a 10%, anualmente. Consome carne bovina e de frango, desde que os animais tenham sido criados e abatidos conforme o padrão Halal, que segue orientação religiosa do Islã. No ano passado, o governo de Goiás discutiu a exportação de carne para o Oriente Médio. Agora, foi a vez da Cdial Halal, representada pelo seu diretor-geral, Ali Saifi, receber, na última sexta-feira, 26, autoridades dos Emirados Árabes e Arábia Saudita.

A comitiva veio ao Brasil com a missão de observar como o País realiza o abate halal aplicado em aves. “Tivemos o prazer em recebê-los em nossa sede em São Bernardo do Campo [interior de São Paulo]. Eles vieram para o Brasil com o objetivo de estudar o procedimento de abate halal aplicado em aves no País e as certificadoras, responsáveis pelo gerenciamento deste trabalho, como é o nosso caso”, diz Saifi. Durante esta semana, as autoridades visitam alguns frigoríficos que realizam o abate halal no Brasil e também a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). “Para nós, esta visita é de extrema importância. Sabemos o quanto nosso abate é profissional e reconhecido como referência para outros países”, complementa Saifi.

O grupo foi formado pelo engenheiro Khalaf Abdulqader Mohamed Al Hammadi, diretor de Normas e Padronização; o diretor do Departamento de Legislação Técnica, Yousef Alsaadi, e pelo engenheiro Basem Hamad AlTarawneh, especialista Sênior de Padronização, todos integrantes da Emirates Authority Standardization Metrology (ESMA, na sigla em inglês) – órgão responsável pela fiscalização e padronização dos produtos comercializados no país.

Também participou o Ahmed Soliman Hussein da United Arab Emirates University (Uaeu, na sigla em inglês), o engenheiro Tariq Abdulqader Abdulla AlEmadi do Islamic Affairs and Charitable Activities Department (Iacad, na sigla em inglês) especializado em realizar trabalhos sociais – ambos pertencentes ao governo dos Emirados Árabes. Além do engenheiro Yousif Salem A. Alharb da Saudi Food and Drug Authority (SFDA, na sigla em inglês) do departamento do reino da Arábia Saudita, que fiscaliza e regula todos os produtos alimentícios e farmacêuticos comercializados naquele país.

Portal Revista Safra, com informações da Fambras e LN Assessoria

Publicidade

Publicidade