Comércio internacional de mudas e sementes é tema de palestra em Porto Alegre

A partir de julho começam a valer novas regras para a importação e exportação de sementes e mudas

Moacir Rodrigues

A importação e exportação de mudas e sementes terá novos procedimentos a partir de julho. O protocolo eletrônico fará parte da rotina de quem produz e comercializa para outros mercados. E também para quem compra do exterior. Para orientar produtores, a Superintendência Federal de Agricultura (SFA) do Rio Grande do Sul realiza hoje, 14, por meio dos serviços de Fiscalização de Insumos Agrícolas e de Sanidade Vegetal, reunião técnica que vai abordar o assunto. O foco do encontro é o comércio internacional das espécies.

Além disso, o órgão procura disciplinar a forma de protocolização e utilização dos meios eletrônicos disponíveis. “Pretendemos esclarecer o nosso público alvo, formado por importadores, exportadores, despachantes aduaneiros e representantes legais, sobre as formas de utilização do método 100% eletrônico para os procedimentos de autorização de importação e exportação de sementes e mudas”, diz o auditor fiscal federal agropecuário Paulo Parente. A reunião ocorre em Porto Alegre (RS).

Apenas o setor de floricultura movimenta, em todo o mundo, US$ 18 bilhões (base mercado produtor) e US$ 54 bilhões (consumidor). O varejo no Brasil gira aproximadamente R$ 2,6 bilhões. Do lado do produtor, R$ 700 milhões são movimentados. O setor atacadista responde por mais de R$ 1 bilhão. As informações foram repercutidas pela Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (Abcsem).

Portal Revista Safra, com informações do Mapa e Abcsem

Foto: Divulgação/Embrapa

Publicidade

Publicidade