Arquivo/Vandréia de Paula

Com alta externa, interesse por exportação de algodão aumenta

De 31 de outubro a 7 de novembro, o Indicador do algodão Cepea/Esalq, com pagamento em oito dias, subiu apenas 0,27%, a R$ 2,4149/libra-peso

Com a alta dos preços internacionais e as oscilações na taxa de câmbio nestes primeiros dias de novembro, agentes se voltaram para as negociações de contratos para exportação, principalmente envolvendo o produto da safra 2017/2018. O número de negócios captados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), no entanto, ainda tem sido baixo.

No mercado brasileiro, apenas alguns lotes foram comercializados para entrega neste final de 2017 e ao longo de 2018. Já para entregas rápidas, boa parte dos vendedores segue retraída, mantendo baixa a liquidez. Algumas indústrias estão ativas no mercado, mas ofertando preços inferiores aos pedidos por cotonicultores e tradings. A disparidade de preços entre os agentes e a diferença de qualidade num mesmo lote de pluma limitaram os fechamentos.

Assim, de 31 de outubro a 7 de novembro, o Indicador do algodão Cepea/Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq), com pagamento em oito dias, subiu apenas 0,27%, a R$ 2,4149/libra-peso nessa terça-feira.

Cepea

Publicidade

Publicidade