Publicidade
Publicidade

Colunistas

Carne Fraca?

Marcelo Barreto da Silva, professor da Universidade Federal do Espírito Santo, secretário de Agricultura do município de São Mateus-ES e coordenador do Programa Agro+: por uma agricultura mais sustentável

Marcelo Barreto-corte

Marcelo Barreto da Silva, professor da Universidade Federal do Espírito Santo, secretário de Agricultura do município de São Mateus-ES e coordenador do Programa Agro+: por uma agricultura mais sustentável

Gostaria de tratar de outro assunto, mas não há como não comentar sobre a Operação Carne Fraca coordenada pela Polícia Federal, que investiga corrupção em empresas frigoríficas, exportadores e fiscais federais. Ela é o resultado de uma investigação de dois anos de duração e gerou 309 mandatos judiciais, 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 conduções coercitivas e 194 mandatos de busca e apreensão. Sem dúvida, uma mega operação com resultados ainda não quantificados no comércio internacional de carne e no imaginário do consumidor brasileiro.

O clima é de tensão em Brasília. Os grandes importadores encontraram motivos para criar obstáculos à importação da carne brasileira. Por enquanto, só foram solicitados esclarecimentos sobre a questão. Aqui cabe lembrar que o cerne da operação é criminal, ou seja, desvios de conduta, facilidades na liberação de mercadorias, vantagens ilícitas por parte dos fiscais, redirecionamento de carga que apresentou alguma inconformidade. Suponho que parte destas mercadorias não estava necessariamente fora dos padrões internacionais, considerando que são fiscalizadas também nos países de destino. Em outras palavras, estamos falando de corrupção e não necessariamente de infração sanitária, área que cuida da qualidade de alimentos e sua relação com a saúde humana.

Este momento traz oportunidades para o Brasil. É hora de mostrar mais uma vez ao mundo e ao povo brasileiro o rigor com que os frigoríficos e o governo tratam a produção de carne. Não só na fiscalização sanitária, mas no manejo dos animais e na preocupação com seu bem-estar. Não é prudente encobrir falhas do sistema e sim demonstrar que haverá seriedade e agilidade na apuração dos fatos, bem como a responsabilização dos culpados. Podemos mostrar ao mundo que crescemos no controle interno e que respeitamos nossas instituições. Que os fatos apurados representam a exceção e não a regra.

Por outro lado, existe a tentação de querer maquiar as falhas. Dizer que não existe o que é fato. Supervalorizar a cadeia produtiva, sem mostrar seu fundamento. Tratar o problema somente com medidas paliativas e midiáticas, em detrimento das técnicas. Culpar o mercado internacional e seu interesse pelo lucro, assumindo uma postura de vítima de um complô externo. Esquecer que a operação da Polícia Federal expõe falhas que precisam ser estudadas, superadas e monitoradas.

Mas o cômico, se não fosse trágico, é ver o imaginário das pessoas expresso nas mídias. Existem as piadas como a foto do espeto carregado de papelão. Por outro lado, é veiculada uma série de vídeos, fotos e depoimentos que denigrem a imagem do nosso setor produtivo. É como se não tivéssemos orgulho do que somos. Estamos sempre desconfiados dos empresários. É lastimável perceber que, para uma boa parcela da população, a atividade agropecuária, que emprega milhões de pessoas sérias e trabalhadoras, ainda não é respeitada. Semanalmente tenho que esclarecer às pessoas que carne de frango não contém hormônio e que hoje, uma das disciplinas dos cursos de veterinária e zootecnia é o bem-estar animal. É como se os óculos da população sempre tivessem lentes distorcidas. Seria bom se aprendêssemos a valorizar aquilo que temos de bom, sabendo que sempre poderemos ser melhores.

Artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores, não representando necessariamente a opinião editorial do Portal Revista Safra.

Um comentário em “Carne Fraca?

  1. Prezado Sr. Marcelo,
    Parabéns pelo artigo! Muito esclarecedor. Certamento vou recomendar a muitas pessoas que estão tão “confusas” com as informações que vem sendo divulgadas… ou com a forma que essa divulgação vem sendo feita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>