Arquivo

Café segue em ritmo lento de negócios

Quanto à temporada 2018/19, a colheita do robusta em Rondônia está em ritmo lento, visto que chuvas dificultam a entrada de trabalhadores nas lavouras e a retirada dos grãos colhidos

Mesmo com o tempo seco e frio, a chuva registrada nos últimos dias aumentou os níveis de água do solo, garantindo boas condições ao desenvolvimento das lavouras de milho, feijão, algodão, cana-de-açúcar e café. Em contraponto, o café apresenta baixa liquidez no mercado, sendo que um dos fatores pode ser a espera da intensificação da colheita da safra 2018/19.

Em resposta, a comercialização do produto segue lenta no mercado brasileiro, como atestam pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/Universidade de São Paulo (Cepea/Esalq/USP). Exportadores estão no aguardo da entrada do produto da nova temporada e os produtores seguem nos preparativos da colheita.

Quanto à temporada 2018/19, a colheita do robusta em Rondônia está em ritmo lento, visto que chuvas dificultam a entrada de trabalhadores nas lavouras e a retirada dos grãos colhidos. No Espírito Santo, precipitações esporádicas têm ocorrido sobre o estado, auxiliando os cafezais. Para o arábica, o clima mais firme nas últimas semanas favorece a maturação dos grãos na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea/USP.

A presença de uma frente fria sobre o norte da região Sudeste mantém muitas áreas de instabilidade sobre o centro-norte do Brasil. Com isso, a terça-feira, 17, deverá ser marcada por pancadas de chuva em grande parte das regiões produtoras do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Maranhão, Tocantins, Piauí, Bahia (Matopiba), Espírito Santo e sul da Bahia.

A chuva na metade norte do País possibilita a manutenção dos bons níveis de umidade do solo, garantindo excelentes condições de desenvolvimento das lavouras de segunda safra, a safrinha. No entanto, em regiões como o Maranhão e o Piauí, a chuva atrapalha o andamento da colheita de soja e ocasiona porcentuais elevados de grãos ardidos. No centro-sul do País, devido à presença de uma massa de ar polar que, além de deixar as temperaturas mínimas mais baixas, impede a formação de nuvens de chuva, deixando o tempo aberto e sem instabilidade.

Portal Revista Safra, com informações do Cepea/USP e Climatempo

Publicidade

Publicidade