Divulgação/Bayer

Bayer marca presença na 19ª Expodireto Cotrijal

Para vencer os desafios da agricultura moderna, os agricultores precisam ter acesso ao máximo de tecnologias e informações possíveis que os ajudem a lidar com questões climáticas, controle de pragas e, assim, tomar as melhores decisões de manejo

Moacir Neto

As commodities soja e milho estão em um bom momento no Rio Grande do Sul. Um negócio que há três décadas apresenta bons resultados e dá certo, mesmo enfrentando alguns solavancos. Por outro lado, produtores conservadores, seguros e que conhecem bem a atividade ajudam a manter os patamares de produtividade. Aliado a isso, o clima, água e também boas terras completam o cliclo. “Além desses fatores, temos empresas que investem em pesquisa. Mesmo com alguma especulação (observado o humor do mercado, sobretudo), o negócio soja não para. O milho segue o mesmo caminho”, avalia o gerente de Clientes da Bayer para a Região Sul, Cassiano Medeiros, que conversou com a reportagem da Safra no estande da companhia. Pensando nesse público, a Bayer apresentou novidades ao produtor durante a 19ª Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque (RS).

Frente aos 30 milhões de hectares de soja no Brasil, o principal desafio é levar inovações ao produtor. “(Precisamos apresentar) variedades com produtividade e também resistentes a doenças, tendo em vista a pressão da lagarta e também dos percevejos”, diz, ao observar que o produtor da atualidade melhorou a tecnologia e, consequentemente, a qualidade dos produtos.

“O produtor está usando a tecnologia. Quer comodidade e semente de boa qualidade já tratada. Por isso a Bayer possui o tratamento industrial das sementes”, afirma o gerente regional da Bayer no Rio Grande do Sul, Marcos Cernescu, ao garantir que a companhia é líder no mercado do Rio Grande do Sul, sempre focada no produtor. “Estamos tentando facilitar a vida do produtor para que ele entre na lavoura na hora certa.”

Perto de ser concluída a safra de soja e ser iniciado o planejamento para a safra de inverno no Rio Grande do Sul, a Bayer aproveita sua participação na Expodireto Cotrijal 2018, em Não-Me-Toque (RS), para orientar produtores sobre a importância do manejo integrado de pragas, como forma de prevenir possíveis prejuízos na lavoura.

Para vencer os desafios da agricultura moderna, os agricultores precisam ter acesso ao máximo de tecnologias e informações possíveis que os ajudem a lidar com questões climáticas, controle de pragas e, assim, tomar as melhores decisões de manejo. “O agricultor gaúcho anseia por mais tecnologia e novidade para seus negócios, e é pensando nisso que a Bayer apresenta lançamentos em mais uma Expodireto Cotrijal, a fim de dar subsídio em produtos e serviços para um trabalho seguro e eficiente no campo”, assegura Medeiros.

Dentre as ações da empresa, está o monitoramento constante das lavouras por meio do programa Patrulha Percevejo, um serviço de monitoramento contra uma das principais pragas que acomete lavouras em todo o Brasil: o percevejo. Os percevejos marrons atacam diretamente as vagens e os grãos da soja, causando perdas de produtividade e qualidade. “O agricultor que solicitar o serviço via nosso programa de pontos terá sua área monitorada com peridiocidade de acordo com a biologia da praga, quesito de importância como tomada de decisão de manejo na lavoura e, havendo incidência da praga, será orientado a tomar as medidas necessárias”, assegura Cernescu.

Portal Revista Safra, com informações da Bayer

Publicidade

Publicidade