Divulgação/Irga

Arroz de sequeiro no Tocantins tem recuo de 6% na área cultivada

Aproveitando o momento, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) participa, no próximo dia 15, da abertura oficial da colheita de grãos na safra 2017/2018 no Tocantins. Um dos palestrantes é Leonardo Campos, pesquisador da Embrapa Soja, de Londrina (PR)

Moacir Neto

As lavouras de arroz de sequeiro do Tocantins estão em bom estágio de desenvolvimento devido, sobretudo, aos volumes de chuva desde o início do plantio. Mas a área cultivada, na atual safra, deve recuar 6% em relação à passada. Por outro lado, a área do arroz irrigado será 1,5% maior do que a safra 2016/2017. As lavouras estão com aproximadamente 2% em estágio de maturação, sendo que a colheita deve ser iniciada na segunda quinzena deste mês. É o que revela o 5º Levantamento da Safra de Grãos, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Aproveitando o ensejo, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) participa, no próximo dia 15, da abertura oficial da colheita de grãos na safra 2017/2018 no Tocantins. Um dos palestrantes é Leonardo Campos, pesquisador da Embrapa Soja (Londrina-PR), que atua no estado e faz parte de núcleo de pesquisas em sistemas agrícolas da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO).

Campos vai falar sobre pesquisa e inovação tecnológica no aumento da produtividade da soja no Tocantins. Segundo ele, a atual produtividade média do grão no estado está distante do que consideraria um patamar máximo. “Hoje, o Tocantins tem em torno de 50 sacos por hectare de produtividade. Daria para elevar bastante com adoção das tecnologias e pensando nas formas de se trabalhar nesse ambiente aqui, que é bem desafiador pra nós”, avalia.

O pesquisador conta sobre áreas que apresentam índices de até 75 ou 80 sacos por hectare, ou seja, números bem maiores que a média de todo o estado. “São áreas mais isoladas e onde normalmente há um ambiente um pouco melhor para o crescimento dessa soja, tem uma boa e bem distribuída precipitação, a temperatura não prejudica tanto, tem uma luminosidade. Essas áreas mostram que a gente ainda pode ganhar muito na produtividade”, explica.

De acordo com números da Conab, o Tocantins deve ter uma variação positiva de 1% na produção total de soja comparando-se a atual safra com a 2016/2017. O volume total produzido no estado deve ultrapassar 2,8 milhões de toneladas. A soja é o principal produto da agricultura tocantinense há várias safras, com tendência de se manter nessa posição, como em diversos outros estados do País.

Portal Revista Safra, com informações da Embrapa e Conab

Publicidade

Publicidade