Claudio Bezerra Melo/Embrapa

Agricultura de precisão é debatida na Câmara dos Deputados

A audiência foi marcada para tratar do projeto de lei que dispõe sobre privacidade e proteção de dados na internet com reflexos na divulgação de pesquisa em torno do tema

Moacir Rodrigues

A tecnologia ganha cada vez mais espaço no campo, influenciando a maneira como o agronegócio é conduzido. Como reflexo do que já ocorre no restante do mundo, a realidade aponta para um cenário onde tratores autônomos e alta performance caminham juntos, como aliados da produtividade. A agricultura de precisão já começa a fazer parte da rotina de homens e mulheres do meio rural. Tanto que será discutida em audiência pública marcada para hoje, 10, a partir das 10 horas, na Câmara dos Deputados.

Presidente da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Márcio Albuquerque vai apresentar planejamento estratégico e ações que podem estimular a agricultura de precisão, como linhas de fomento para a inovação e a formação de pessoal.

A audiência foi marcada para tratar do projeto de lei que dispõe sobre privacidade e proteção de dados na internet com reflexos na divulgação de pesquisa da agricultura de precisão. Há a expectativa de que o projeto venha limitar a troca de informações, de acordo com o presidente da comissão. Ele espera que o debate inclua a produção de alimentos com sustentabilidade e maior produtividade.

Integrantes da comissão debateram, ontem, 9, em Brasília, o apoio ao desenvolvimento de tecnologias, assistência e capacitação técnica, além de programas de financiamento para equipamentos e serviços voltados à agricultura de precisão. “Essas tecnologias permitem, por exemplo, desenvolver aplicadores de fertilizantes que injetam a quantidade certa de produtos no local mais adequado. São voltadas para o produtor rural e repassadas por meio da assistência técnica que lhes é prestada. E proporcionam maior competitividade e sustentabilidade para a unidade produtiva”, destacou o chefe da Divisão de Agricultura de Precisão e Novos Insumos do Mapa, Fabrício Juntolli.

Durante a reunião, a comissão tratou também de eventuais parcerias com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que apresentaram propostas de projetos para o setor. “Temos usado a Comissão de Agricultura de Precisão como um ponto de encontro de todos os atores do mercado desse setor com entidades governamentais”, disse Albuquerque.

De acordo com ele, a reunião abriu novos horizontes para parcerias na área de tecnologia. “No momento em que a gente traz parceiros que podem ajudar a acelerar esse desenvolvimento e se colocam novas formas de financiamento, os resultados podem ser muito positivos”, afirmou.

Portal Revista Safra, com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

Publicidade

Publicidade