Rodrigo Leal/Governo do Paraná

Açúcar tem pouca variação nos preços  

Após duas temporadas consecutivas com déficit no balanço entre produção e consumo mundial de açúcar, as projeções para a atual safra global 2017/2018 indicam mudança neste cenário. O aumento da produção na Índia, Tailândia e também na União Europeia fortalecem as expectativas de superávit para a próxima safra

Moacir Neto

Indicador do açúcar cristal na cidade de São Paulo fechou no dia 22 a R$ 58,37, a saca de 50 quilos. Houve queda mensal de 12,82%, com o produto sendo comercializado em dólar a 18,20 (no dia 16, a cotação em moeda norte-americana fechou em US$ 18,70, o maior valor na semana analisada). No mesmo dia, a saca foi comercializada a R$ 60,38, mesmo diante de variação negativa de 2,28% (-9,81%, mensal). Os dados são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/Universidade de São Paulo (Cepea/Esalq/USP). Na média, os preços tiveram pouca variação entre os dias 16 e 22.

Após duas temporadas consecutivas com déficit no balanço entre produção e consumo mundial de açúcar, as projeções para a atual safra global 2017/2018 indicam mudança neste cenário. O aumento da produção na Índia, Tailândia e também na União Europeia fortalecem as expectativas de superávit para a próxima safra. A Organização Internacional do Açúcar (OIA) estima que o superávit supere as 4 milhões de toneladas, enquanto o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), as 10 milhões de toneladas.

No Brasil, a situação é um pouco diferente. As previsões para a safra 2018/2019 do Centro-Sul, maior região produtora, apontam para uma estagnação na produção. Existe um consenso entre os analistas quanto aos motivos da esperada desaceleração no crescimento da cana produzida. Argumenta-se que a crise financeira em algumas unidades produtoras ocasionou uma baixa renovação dos canaviais, bem como a diminuição dos tratos culturais, visando reduzir os custos. Isto deve resultar também na queda na produtividade da cana-de-açúcar. No geral, as previsões de produção para a safra 2018/2019 têm apresentado pouca variação entre os analistas, girando em torno de 580 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

Segundo pesquisa feita pela Reuters junto a analistas do mercado, a média das estimativas para produção de açúcar no Centro-Sul para a safra 2018/2019 deve ser de aproximadamente 33 milhões de toneladas (6,3% menor do estimado para a safra atual). De acordo com o USDA, a Índia deve produzir 27,73 milhões de toneladas de açúcar na safra 2017/2018, alta de 25% em relação à temporada anterior 2016/2017. A União Europeia, com a eliminação do sistema de quotas na safra 2017/2018, deve produzir 20,1 milhões de toneladas de açúcar (+21,8% em relação à anterior). A produção na Tailândia (segundo maior exportador de açúcar do mundo) deve somar 11,2 milhões de toneladas (+12%).

Portal Revista Safra, com informações do Cepea/USP

Publicidade

Publicidade