Divulgação/Aiba

Pesquisa da Embrapa contra HIV é premiada em concurso dos EUA

O estudo conseguiu comprovar que sementes de soja geneticamente modificadas constituem a biofábrica mais eficiente e uma opção viável para a produção em larga escala da cianovirina - uma proteína extraída de algas – muito eficaz no combate à Aids

A pesquisa desenvolvida em parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia), o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH, sigla em inglês), a Universidade de Londres e o Conselho de Pesquisa Científica e Industrial da África do Sul (CSIR, na sigla em inglês) recebeu o prêmio nacional do Consórcio Federal de Laboratórios (FLC, sigla em inglês) em 2018  pela excelência na transferência de tecnologia na área de saúde e serviços humanos em todo o território norte-americano. O estudo conseguiu comprovar que sementes de soja geneticamente modificadas constituem a biofábrica mais eficiente e uma opção viável para a produção em larga escala da cianovirina – uma proteína extraída de algas – muito eficaz no combate à Aids.

O FLC é dividido por seis regiões: Extremo-Oeste, Médio- Atlântico, Médio-Continente, Nordeste e Sudeste. A pesquisa já havia sido premiada em 2017 na região do Médio-Atlântico (FLC MAR). Em 2018, recebeu o prêmio nacional, abrangendo todas as regiões. Este consórcio congrega mais de 300 laboratórios de renomadas instituições de pesquisa e ensino norte-americanas, como o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) e as Universidades de Cornell, Carolina do Norte e Maryland, entre outras. O prêmio será entregue durante a reunião nacional do FLC no dia 25 de abril, em Rockville (Maryland). Ao todo, serão 30 prêmios, envolvendo 24 laboratórios de 10 agências federais.

Embrapa

Publicidade

Publicidade