Divulgação/Texto Assessoria

Circuito Boi Verde 2017 destaca evolução do Nelore

A ação contou também com o apoio da DSM Tortuga, que premiou os melhores classificados em cada etapa e premiará o primeiro colocado do Campeonato Melhor Lote de Carcaças do Circuito com 3 toneladas de produtos para a Nutrição Animal de Bovinos de Corte

Moacir Neto

Com rebanho superior a 22 milhões de cabeças de gado, Goiás se destaca pela qualidade das raças e também por sediar um dos eventos nacionais de maior prestígio no terreno da genética animal, a Goiás Genética. As raças, sobretudo a Nelore, ganham cada vez mais espaço à mesa de debates entre os pecuaristas. O estado também foi representado pela cidade de Mineiros, por ocasião do Circuito Boi Verde de Julgamentos de Carcaças 2017, iniciativa que resultou, no ano passado, na avaliação de 6.015 animais em oito etapas realizadas em cinco estados.

No Espírito Santo, a cidade de Colatina contou com duas etapas, Goiás (Mineiros, uma etapa), Mato Grosso (Tangará da Serra), Mato Grosso do Sul (Bataguassu e Naviraí) e Rondônia (Vilhena e Chupinguaia). Iniciativa da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) visando incentivar a produção eficiente e valorizar os produtores de Nelore que se destacam, o circuito de julgamentos de carcaças teve como parceiros os frigoríficos Marfrig, JBS e Frisa.

A ação contou também com o apoio da DSM Tortuga, que premiou os melhores colocados em cada etapa e premiará o primeiro colocado do Campeonato Melhor Lote de Carcaças do Circuito com 3 toneladas de produtos para a Nutrição Animal de Bovinos de Corte. As avaliações das carcaças realizadas nas etapas do Circuito 2017 evidenciam a evolução da raça Nelore.

Grande parte dos animais apresentaram-se jovens, pesados e com o acabamento de gordura ideal. A qualidade dos animais é evidenciada pela pequena diferença das pontuações dos primeiros colocados. A Fazenda São Marcelo, de Juruena (MT) foi a grande vencedora do Circuito Boi Verde 2017, acumulando 11.358,67 pontos – a propriedade foi a terceira colocada em 2015 e em 2016. A Fazenda Santa Bárbara e Rancho Seco, de Sandra Maria Massi, de Ivinhema (MS), campeã do Circuito Boi Verde 2016, este ano ficou com o segundo lugar, totalizando 11.309,20 pontos. A terceira colocação foi da Campanário Agropecuária, de Laguna Carapã (MS), com 11.223,15 pontos. No total, participaram 35 propriedades.

“O resultado do Circuito Boi Verde é reflexo do trabalho da São Marcelo, que começa na cria, passa pela recria e finaliza na terminação, envolvendo todo o sistema de produção da propriedade. Todos os animais levados para avaliação ainda tinham dentição de leite (0 dentes), precoces, com acabamento impecável e na faixa de peso desejável. A cada ano, procuramos fazer algo diferente, para melhorar e estar sempre na cabeceira dessa iniciativa importante da ACNB”, diz, por meio de assessoria, o gerente de pecuária da Fazenda São Marcelo, Leone Furlanetto. No campeonato “Melhor compra de gado”, a unidade de Bataguassu (MS) do frigorífico Marfrig, venceu. O resultado deste campeonato é apurado considerando-se o número de animais participantes da etapa e a média de pontuação alcançada pelos lotes na avaliação das carcaças.

O Marfrig Global Foods foi o frigorífico que realizou o maior número de etapas (4) e mais comprou animais Nelore avaliados pelo Circuito Boi Verde, com 2.587 cabeças. A JBS ficou no segundo lugar, com 2 etapas e 1.930 animais comprados. O Frisa realizou 2 etapas com o total de 1.498 animais. A ACNB já prepara o calendário de etapas do Circuito Boi Verde de Julgamentos de Carcaças 2018. Unidades frigoríficas e produtores interessados em participar podem entrar em contato com a entidade para pré-agendar suas participações.

Portal Revista Safra, com informações da Texto Comunicação Corporativa

Publicidade

Publicidade