Arquivo

Preços da arroba da carne bovina seguem mais valorizados no mercado paulista

Desde dezembro de 2016 que os preços da arroba da carne bovina - carcaça casada negociada no atacado da Grande São Paulo - superam os valores da arroba do boi gordo, no mercado paulista

Moacir Neto

Indicador do boi gordo, na média ponderada no Estado de São Paulo, fechou o dia 18 a R$ 147, com queda diária de 0,14%  e 0,68% (mensal). A arroba foi negociada em dólar a 45,78, no mesmo dia. No dia 16, a arroba foi cotada a 148,05 (0,82% de variação diária e 1,40%, mensal). Os dados são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/Universidade de São Paulo (Cepea/Esalq/USP). Arroba da carne bovina tem preço maior que a do boi gordo no mercado paulista.

Considerando-se toda a série histórica do Cepea, iniciada em 2001 para a carne, ainda que esporadicamente os preços da carcaça casada ficassem acima dos da arroba do boi, esta é a primeira vez que esse contexto perdura por mais de um ano – antes de 2017, o período máximo desse deslocamento foi de apenas dois meses. Desde dezembro de 2016 que os preços da arroba da carne bovina (carcaça casada negociada no atacado da Grande São Paulo) superam os valores da arroba do boi gordo (mercado paulista), segundo dados do Cepea.

A média de preço da arroba bovina em 2017 foi de R$ 140,19 (considerando-se como base as médias mensais deflacionadas pelo IGP-DI de dezembro), enquanto os mesmos 15 quilos de carne estiveram a R$ 147,70, resultando em diferença média de R$ 7,51 por arroba. A maior diferença observada no ano passado, de R$ 16 reais por arroba e que foi observada em junho, é também a maior de toda a série histórica do Cepea.

Naquele mês, a arroba da carne era negociada a R$ 147,50, ao passo que a do boi estava a R$ 131,50. No ano passado, diversos fatores – como a operação “Carne Fraca”, deflagrada em março pela Polícia Federal, e a delação da maior indústria frigorífica brasileira (que resultou em forte redução da compra de animais por parte desse grande player) – desfavoreceram os negócios efetivados pelo pecuarista e pressionaram os valores da arroba do boi gordo, sobretudo no primeiro semestre.

Mesmo que os preços da carne tenham acompanhado o movimento de queda verificado para o boi, a intensidade foi menor. Com menos carne sendo ofertada, frigoríficos que seguiram normalmente no mercado acabaram controlando os volumes de carne em estoque, evitando elevada oferta de carcaça no mercado atacadista. Além disso, as exportações em ritmo intenso também ajudaram a enxugar o volume de carne no mercado doméstico – os embarques de carne bovina in natura em 2017 registraram o quarto melhor desempenho da história.

Portal Revista Safra, com informações do Cepea/USP

Publicidade

Publicidade